terça-feira, 31 de maio de 2011

Borboletas fêmea fecham as asas para evitar machos insistentes


 Espécie Lycena phlaeas

 30.05.2011

As borboletas fêmeas da espécie Lycena phlaeas desenvolveram uma técnica para evitar o assédio sexual de machos insistentes, fechando as asas e tornando-se menos visíveis, concluiu estudo japonês publicado na última edição da revista “Ethology”.
Jun-Ya Ide, do Instituto de Tecnologia Kurume, em Fukuoka, explicou à BBC que as borboletas fechavam as asas quando outras borboletas da mesma espécie voavam muito perto. Além disso notou que estes animais fechavam as asas com menor freqüência à aproximação de borboletas de espécies diferentes.

Esta será uma estratégia das borboletas fêmeas que já copularam a fim de se protegerem, já que são muito frágeis.

Depois de utilizar um modelo de borboleta macho para testar a reacção das fêmeas, Ide concluiu que “quando as fêmeas já não necessitam copular, elas fecham as asas para se esconder”. No entanto, as fêmeas virgens que querem copular “mantêm suas asas abertas para ficarem visíveis”.

Espécie Lycena phlaeas

Quem tem medo de borboleta bruxa?

domingo | 29/05/2011 18:45:00
Textos: Redação Fotos: Liana Fernandes

Quem tem medo de borboleta bruxa?



 Borboleta-coruja: Tem este nome, pois nas asas pelo lado de dentro, ela tem um desenho semelhante ao rosto de uma coruja, com destaque para os olhos enormes e abertos. Esta estampa serve de maneira eficiente para driblar seus predadores.



Para os supersticiosos, quando uma borboleta grande e preta entra na sua casa, é sinal de mau agouro. Dizem também que é uma encarnação de bruxa, ou criança que morreu sem ser batizada. Se é por causa dessas crendices não se sabe, mas muitas pessoas têm medo desses animais inofensivos.
O analista Anderson Novais diz que desde a infância tem medo desse tipo de borboleta. “Quando eu vejo uma, meu coração dispara e eu começo a tremer”, revela.
Ele conta que, quando tinha dez anos, quase tocou em uma que estava na vitrola de seu pai. “Como ela é preta e o aparelho também era, não percebi, mas quando me dei conta, saí correndo de casa, parecia um louco. Nossa! Elas metem medo! Desde então, tenho medo. Nem é por superstição, mas elas não são bonitas e são grandes”, comenta.

Ao contrário dele, o vendedor Fabrício Tomás diz que não tem medo, já que as borboletas são inofensivas. “Elas nem morder mordem. Não te pegam, não fazem nada e acho até bonito de ver”, destaca.

Mas nem todos são como ele. A estudante Jaqueline Godinho, por exemplo, tem pavor desse tipo de inseto. “Eu saio correndo toda vez que me deparo com uma. Não consigo ficar perto. Uma vez uma dessas entrou na sala de aula onde estava e fiz um escândalo. Minhas amigas acham que eu preciso buscar ajuda psicológica”, conta.
A aposentada Maria Inês acredita que, quando uma borboleta dessas pousa na sua janela, é mau presságio. “Não tenho medo delas, mas sinto como se elas viessem me trazer alguma notícia ruim”, explica.


Bruxa??? Onde ??? Tão linda e inofensiva...




.
.

BORBOLETAS EM EXTINÇÃO

Mais de 50 tipos de borboleta estão em extinção



Os insetos mais populares do mundo precisam de ajuda.

  Rede Ambiente

Quando falamos de animais ameaçados, o que vem imediatamente à cabeça são os pandas, os micos-leões-dourados, macacos-prego, onças-pintadas. Mas e outros animais – insetos, por exemplo? Existem borboletas em extinção?

Existem, sim, e muitas: mais de 50 espécies estão na lista vermelha da IUCN (International Union for Conservation of Animals, União Internacional para Conservação dos Animais, em inglês), e uma já foi considerada oficialmente extinta. A Grande Branca da Madeira costumava habitar florestas úmidas de grandes altitudes da ilha da Madeira até 2007.

A borboleta é um importante agente polinizador, como as abelhas. O desaparecimento da espécie afetaria diretamente a população de plantas que, vale a pena lembrar, são a base da cadeia alimentar.

As principais ameaças às borboletas não são mais os caçadores/colecionadores, já que colecionar borboletas, assim como colecionar selos, já saiu de moda há muito tempo. Os maiores problemas são as extensões agrícolas e os incêndios, que destroem não apenas seu habitat como quase todos os ingredientes da sua dieta.

As borboletas contém inúmeras referências culturais. São símbolos da transformação e vida nova. Em alguns lugares, são sinais de boa sorte. No Japão, representam a alma. A palavra grega para borboleta, psiqué, é a mesma utilizada para mente e alma. O antigo filósofo taoísta Zhangzhi teve um sonho em que era uma borboleta. Quando acordou, pensou “Eu era um homem que sonhou ser borboleta, ou uma borboleta que sonha ser homem?”

Recentemente, o museu de História Natural londrino promoveu uma exposição, “Sensational Butterflies”, que exibia mais de 600 espécies com o objetivo de estimular o plantio de flores que atraíssem estes animais. Uma bela iniciativa que deveria se espalhar por todo o mundo.
 
  João Angelo Cerignoni   em 31.05.2011
Realmente, elas precisam de ajuda pois elas são indicadores de ambiente em equilibrio, algo está errado onde não vemos estas belas formas voando em harmonia.
 
Abraços.

terça-feira, 24 de maio de 2011

DAMAS ALADAS...

Borboletário

Sinta a emoção de caminhar em meio as borboletas

By Bruna Scavacini at maio 23, 2011 | 20:05 |

É fato que alguns insetos são nojentos. Mas as borboletas… São os insetos mais coloridos e com uma beleza incrível. Imaginem ter sobrevoando ao seu redor milhares desses maravilhosos insetos? É isso mesmo que você encontra no primeiro borboletário aberto a visitação do Brasil, o Borboletário Flores que Voam, situado na cidade de Campos do Jordão. Há, no planeta, cerca de 715.00 espécies desses insetos. Já no Flores que Voam são, em média, 35 espécies sobrevoando em meio as plantas e aos visitantes.
Antes de conhecer estas maravilhas naturais, os visitantes são convidados a assistir um filme de aproximadamente 12 minutos no qual é explicado as fases da metamorfose da borboleta, a importância desses insetos para o meio ambiente, como são criadas no borboletário e quais os procedimentos dentro do viveiro.
Terminado o vídeo os visitantes são liberados para entrar na estufa de 500m2 e caminhar num lindo jardim em meio as borboletas, acompanhados sempre por um monitor que explica quais as espécies que são vistas, quais as flores que há o néctar para a alimentação de cada espécie, além de socorrer uma ou outra que se aventura na água e acaba se afogando.
Do lado de fora da estufa há um grande painel que exibe uma montagem com grandes borboletas e permite, com um pouco de criatividade, fazer belas fotos de recordação.
Lembrem-se que as borboletas somente voam com a energia do Sol, por isso, se quiser vê-las voando, fazer sua visita ao borboletário em dias ensolarados. Por outro lado, nos dias sem sol a oportunidade é única para ver de perto as cores, texturas e particularidades das borboletas.

Local: Caminho do Horto – Km 10 – Av. Pedro Paulo, 7997 – Campos do Jordão/SP
Horários de funcionamento:
Aberto de 4ª a domingo, das 10h às 15h. De 2ª e 3ª feiras somente com agendamento para grupos com mais de 15 pessoas.
Valores:
R$ 15,00 – Crianças de 07 a 10 anos, estudantes com carteirinha e 3ª idade acima de 60 anos.
R$ 30,00 – Inteira
R$ 20,00 -  Promoção para adultos
Crianças com menos de 7 anos não pagam

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Borboletario - Butterfly World

Borboletário:

AGORA SIM, TUDO OQUE FALTAVA A RESPEITO DO TEMA.
 
Um borboletário é um tipo de zoológico feito especialmente para a criação e exibição de borboletas. Os borboletários costumam ser abertos ao público, consistindo numa estrutura semelhante a uma estufa, diferenciando-se dessa por ser envolta por telas, geralmente dispondo de portas duplas para garantir a permanência das borboletas ali dentro.

Butterfly World.

O Butterfly World é o primeiro e maior borboletário dos Estados Unidos. A exposição também contém beija-flores e outros pássaros, além de um jardim botânico. O santuário foi idealizado pelo empresário entusiasta dos lepidópteros Clive Farrell, que já criou outros refúgios semelhantes na Suíça e na Inglaterra..

Links


 
 Simplice: Borboletário no Jardim Botânico de Lisboa
Já abriu, finalmente, o Borboletário no Jardim Botânico de Lisboa. Estive lá esta manhã, e apesar de ainda terem poucas espécies, vale bem a pena visitar.
 
 Borboletário – Wikipédia, a enciclopédia livre
Um borboletário é um tipo de zoológico feito especialmente para a criação e exibição de borboletas. Os borboletários costumam ser abertos ao público, consistindo numa ...
 
 Clínica Borboletário
A Clínica Borboletário de Psicologia foi fundada com o objetivo de possibilitar aos indivíduos que recorrem à psicoterapia, um ambiente seguro e acolhedor, com profissionais ...
 
 Borboletário - Mata Santa Genebra, Campinas-SP | Flickr - Photo ...
O Borboletário foi implantado no final de 2000, objetivando a criação de borboletas em cativeiro para estudar seu ciclo de vida e comportamento.
 
 Borboletário
"O sol demorou-se pouco. Distribuiu carícias e sorrisos e, satisfeito ao ver que tudo estava em ordem neste pedacinho do seu mundo, recolheu-se de novo atrás da cortina para ...
 
 Borboletario - Instituto Oswaldo Cruz - Rio de Janeiro | Flickr ...
Ontem pela manha fomos no pequeno borboletário inaugurado pouco tempo no Rio, ele esta no Instituto Oswaldo Cruz ou apenas Fio Cruz como tambem é conhecido.
 
 borboletario - paridesascanius
Borboletario. Fotos do Borboletário da Cidade - UniverCidade Quer construir um borboletário? http://borboletarios.googlepages.com/home
 
 Borboletário de Osasco - A Natureza em foco... - Blogs Abril
Quando procurava alguma informação a respeito de um borboletário que fiquei sabendo existir em Diadema-SP, para minha surpresa encontrei um recém inaugurado em Osasco-SP ...
 
 Borboletário
Mostra noticias recentes a respeito de borboletas e borboletários alem de descrever espécies de fácil criação em cativeiro.
 
 Borboletario de Osasco
 Rua David Silva, 111 - Jd. Piratininga - Osasco/SP Telefone: 11 3599-3516. E-mail: borboletariodeosasco@gmail.com
.
.
.

BORBOLETAS

Borboleta.org ,Tudo Sobre Borboletas.

O pessoal do "Borboleta.org, nos presenteia com um programinha SWF (Shockwave Flash),

que mostra de uma forma simples e objetiva, o ciclo da borboleta interativo.

 

 

É um programa criado pelo blog www.borboleta.org e totalmente gratuito (freeware).

Descrição:

Arquivo: SWF (Shockwave Flash)
Idioma: Português
Tamanho: 1,06 MB
Como abrir o programa: Você pode abrir usando o seu navegador de internet. Exemplo: Internet Explorer e o Firefox.


Dúvidas:

Entre em contato conosco.
Correio eletrônico:
borboleta.org@gmail.com

Ficaremos felizes em receber sua mensagem!

.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

II Ciclo de Palestras sobre Borboletas

Meio Ambiente abre inscrições para II Ciclo de Palestras sobre Borboletas

Estão abertas as inscrições para o II Ciclo de Palestras sobre Borboletas, promovido pela equipe do Borboletário Municipal por meio da secretaria de Meio Ambiente de Osasco. O evento acontece no teatro do SESI-Piratininga, no sábado, 4 de junho.


Voltado aos interessados na questão ambiental, em especial na educação, o ciclo inclui palestras com a participação de professores da USP, Unicamp, Universidade Federal do ABC e do Instituto Butantã, que irão abordar temas como: montagem, coleta e conservação de insetos; Interações Ecológicas - Simbiose: Mimercofilia; Entomologia e Educação: Utilizando insetos para o ensino da evolução e Lepidópteros de importância médica.

O Borboletário de Osasco tem se destacado por sua atuação na educação ambiental e pelo trabalho desenvolvido em laboratório onde são criadas espécies como: Ascia monuste, Methona themisto e Caligo spp.

As inscrições para o curso podem ser realizadas até o dia 25 de maio no próprio Borboletário de Osasco (rua David Silva, 111, Jd. Piratininga) ou pela internet. Podem se inscrever estudantes, pesquisadores e admiradores de borboletas. O custo para a inscrição é de R$40 para estudantes e R$50 para graduados e pós-graduados.

Outras informações podem ser obtidas pelo telefone 3599-3516, pelo e-mail borboletariodeosasco@gmail.com ou no site do Borboletário www.borboletariodeosasco.blogspot.com.


Programação

9h - Credenciamento e café da manhã
9h45 - Abertura
10h - Tema: Montagem, coleta e conservação de insetos
          Palestrante: Prof. Dra. Glaucia Marconato, pesquisadora do Museu de        Zoologia da USP
11h - Tema: Interações Ecológicas - Simbiose: Mimercofilia
          Palestrante: Prof. Dr. Lucas Kaminski, pesquisador da Universidade de Campinas - Unicampo
12h - Almoço
14h - Tema: Entomologia e Educação: Utilizando insetos para o ensino da evolução
          Palestrante: Prof. Dr. Charles Morphy, Professor da Universidade Federal do ABC
15h - Tema: Lepidópteros de importância médica
          Prof. Dr. Roberto Moraes, pesquisador do Instituto Butantã
16h - Fechamento
Serviço

Prazo para inscrição: até 25 de maio de 2011
Taxa de inscrição: R$ 40 para estudantes
                                 R$ 50 para graduados e pós-graduados

Local de inscrição: Borboletário de Osasco - Rua David Silva, 111 - Jardim Piratinina – Osasco, e pela internet - www.borboletariodeosasco.blogspot.com.
Data do curso: 4 de junho, sábado, das 9h às 17h
Local do curso: SESI – Avenida Getúlio Vargas, 401 – Jardim Piratininga – Osasco.

Amanda França
Coordenadora de Projetos
Secretaria de Meio Ambiente de Osasco

Departamento de Comunicação Social
Telefones: (11) 3652-9456 / 3652-9520
Diretora: Emilia Cordeiro

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Borboletário - Belém/PA




Inaugurada em janeiro de 2005, a Reserva José Márcio Ayres, em Belém, no estado do Pará, possui o título de maior criatório de borboletas do mundo com mais de 800 m².
A idéia para construir um borboletário na cidade surgiu de um intercâmbio entre membros ambientalistas da capital paraense com os planejadores de outro criaatório localizado em Curitiba. Também foi realizada algumas viagens à Costa Rica onde se encontra o segundo maior criatório de borboletas do mundo.
São oito espécies de borboletas criadas desde os ovos, que passam pelas fases de pulpa e larva antes de chegar aos vistosos bichinhos, então devolvidos ao borboletário. A vida aproximada desses insetos é de um mês e a média de nascimento é de 200 por dia.
Além das borboletas, ainda vivem no complexo beija-flores e peixes, além da flora amazônica.
A Reserva José Márcio Ayres fica localizada na Mangal das Garças, Pass Carneiro da Rocha, em Belém. Funciona de terça a domingo, sempre das 10h às 18h. Os ingressos custamR$6, pelo passaporte ou R$2,00 para visitar o borboletário.




Bóra lá ???
Bom final de semana a todos.
.

APRENDA A FAZER SAQUINHO PARA LIXO DE JORNAL!!!

Olá pessoal, saindo um pouco da minha linha, sem abandonar as boas idéias de sustentabilidade, segue postagem ensinando como criar um saquinho de jornal para substituir o uso de sacolinhas plásticas para armazenamento de lixo.
Espero que repassem esta idéia.
  • Melhor do que encher diversos saquinhos plásticos ao longo de uma semana você pode usar um único saco plástico dentro de uma lixeira grande na área de serviço e ir enchendo-o por alguns dias com os pequenos lixinhos da casa;
  • Se o lixo é limpo, como de escritório (papel, pedaços de durex, etc)  pode ir direto para a lixeira sem proteção;
  • No caso dos lixinhos da pia e do banheiro (papel higiênico, fio dental, cotonetes), o melhor substituto da sacolinha é o saquinho de jornal. Aprenda como fazer abaixo
O saquinho de jornal tem inspiração no origami e cabe perfeitamente nos lixinhos convencionais, ele mantém a lixeira limpa, facilita na hora de retirar o lixo e é facílimo de fazer só leva 20 segundos para monta-lo.

SACOS DE JORNAL = ORIGAMI PARA LIXEIRA COM JORNAL.

PASSO A PASSO.

Você pode usar uma, duas ou até três folhas de jornal juntas, para que o saquinho fique mais resistente. Tudo no origami começa com um quadrado, então faça uma dobra para marcar, no sentido vertical, a metade da página da direita e dobre a beirada dessa página para dentro até a marca. Você terá dobrado uma aba equivalente a um quarto da página da direita, e assim terá um quadrado.
Para ver melhor os detalhes, clique na foto para aumentar.

Dobre a ponta inferior direita sobre a ponta superior esquerda, formando um triângulo, e mantenha sua base para baixo.

Dobre a ponta inferior direita do triângulo até a lateral esquerda.


Vire a dobradura "de barriga para baixo", escondendo a aba que você acabou de dobrar.

Novamente dobre a ponta da direita até a lateral esquerda, e você terá a seguinte figura:

Para fazer a boca do saquinho, pegue uma parte da ponta de cima do jornal e enfie para dentro da aba que você dobrou por último, fazendo-a desaparecer lá dentro.

Sobrará a ponta de cima que deve ser enfiada dentro da aba do outro lado, então vire a dobradura para o outro lado e repita a operação.
Se tudo deu certo, essa é a cara final da dobradura:

Abrindo a parte de cima, eis o saquinho!

É só encaixar dentro do seu cestinho e parar pra sempre de jogar mais plástico no lixo!

Que tal?

Pode parecer complicado vendo as fotos e lendo as instruções, mas faça uma vez seguindo o passo a passo e você vai ver que depois de fazer um ou dois você pega o jeito e a coisa fica muito muito simples. Daí é só deixar vários preparados depois de ler o jornal de domingo!


quarta-feira, 4 de maio de 2011

Sobre a Exposição "O mundo das Borboletas"

Borboletas são um símbolo de beleza natural, mas poucos sabem que esse inseto é um importante indicador da qualidade do meio ambiente. Se elas estão presentes, o ecossistema está equilibrado. Se desaparecem, é sinal de que há poluição demais. Esta e outras lições podem ser aprendidas até o dia 30 de junho na exposição O Mundo das Borboletas. O evento acontece na Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) e reúne 28 painéis com informações sobre espécies localizadas na região de Piracicaba. Também há exposição de vídeos e coleções de casulos e carcaças de borboletas.

A exposição é fruto do livro Borboletas, uma produção científica lançada em setembro do ano passado, pelo professor Evoneo Berti Filho e o técnico de laboratório João Ângelo Cerignoni. A dupla, que integra o Departamento de Entomologia e Acarologia da Esalq, pesquisou as borboletas durante dez anos. "Nosso livro catalogou 47 espécies da região. E, infelizmente, chegamos a conclusão de que a ação do homem está dizimando os habitats naturais", ressaltou Berti Filho, apontando para um painel que mostra uma floresta nativa e outro que ilustra uma área reflorestada. "Quanto menor a diversidade da flora, menor será a da fauna", complementou.


O resultado do desmatamento é o risco de extinção de algumas espécies até então comuns na região, como a Parides Neophilus, cujas asas pretas são marcadas por manchas vermelhas. "Elas se alimentam de plantas que só existem na ‘borda’ da mata. Quanto mais o homem avança, maior a dificuldade delas para sobreviver", destaca Cerignoni.


Os dados publicados foram coletados entre 2000 e 2010, em visitas feitas a criadores credenciados nos Estados de Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Painel mostrando a metamorfose

Gavetas de coleção de insetos.

Gavetas de coleção de insetos exoticos.

Gavetas de coleção de insetos.

Painéis mostrando o ciclo de várias espécies de borboletas.

Painéis mostrando o ciclo de várias espécies de borboletas.

Painéis mostrando o ciclo de várias espécies de borboletas.

Painéis mostrando o ciclo de várias espécies de borboletas.

Algumas curiosidades como esta espécie de Bicho Pau Australiano.

SERVIÇO - A exposição fica até 30 de junho, no Museu e Centro de Ciências, Educação e Artes Luiz de Queiroz. Pode ser visitada diariamente das 8h às 17h. Informações pelos telefones 3429-4305 ou 3429-4410. (Alessando Meirelles).