sexta-feira, 15 de março de 2013

10 importantes descobertas evolucionárias recentes


Super genes de borboleta.






A borboleta amazônica Heliconius numata era um mistério para os biólogos e geneticistas.

Essa borboleta aparece em sete padrões de manchas diferentes, usados para espantar os predadores, e cada padrão resulta de uma combinação de vários genes diferentes. Quando duas borboletas de padrões diferentes procriam, os genes são recombinados e os padrões deveriam se misturar em poucas gerações. Mas não era isto que estava acontecendo.
Uma equipe de biólogos britânicos e franceses descobriu em 2011 a presença do que eles chamaram de super gene, um grupo de dezoito genes que são passados para a próxima geração como um bloco único.
Em vez de ter uma mistura de genes de cada um dos pais, as borboletas herdam um super gene recessivo ou dominante, permitindo que a característica completa seja passada.

Veja as outras descobertas no site:
http://hypescience.com/10-importantes-descobertas-evolucionarias-recentes/ 










http://hypescience.com/10-importantes-descobertas-evolucionarias-recentes/ 

quinta-feira, 7 de março de 2013

Segue algumas das espécies mais comuns de 


              Borboletas Brasileiras.







Agraulis vanillae

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Freqüenta os jardins e parques, onde visita diversas flores cultivadas, como a zínia. Prefere os lugares abertos e ensolarados, é considerada praga de maracujá cultivado.

Plantas Hospedeiras: Diversas espécies de maracujá.

Habitat: Em todas as regiões.


Foto cortesia: Antonio Machado 








Agrias claudia claudina

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Conhecida como o "príncipe dos ninfalídeos" devido a sua beleza.

Plantas Hospedeiras: Quina glaziovii

Habitat: Algumas regiões do estado do Rio de Janeiro e Espírito Santo.


Foto cortesia: http://www.wikipedia.org








Anartia amathea

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Uma das Borboletas mais comuns do Brasil, ocorrendo principalmente em locais úmidos e brejos.

Plantas Hospedeiras: Várias espécies de acantácea.

Habitat: Em todas as regiões.


Foto cortesia: http://www.wikipedia.org








Anteos menippe

Família: Pierídeos

Particularidades: É uma grande e vistosa Borboleta, de vôo rápido e irregular. Os machos voam em torno das Cassia, localizando fêmeas recém-eclodidas das crisálidas.

Plantas Hospedeiras: Cassia siamea

Habitat: Sudeste, Norte e Nordeste.

Foto cortesia: Henrique Ayres








Ascia monuste

Família: Pierídeos

Particularidades: Talvez a Borboleta mais comum do Brasil, denominada "praga-da-couve" devido a suas lagartas, causarem sérios danos ao cultivo das diversas crucíferas.

Plantas Hospedeiras: Couve, chagas e de alguns vegetais silvestres da família caparidácea.

Habitat: Em todas as regiões.


Foto cortesia: www.wikipedia.org






Brassolis astyra

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Borboleta crespular e matutina, as lagartas são consideradas uma das maiores pragas de diversas palmeiras nativas e cultivadas.

Plantas Hospedeiras: Palmáceas.

Habitat: Sudeste Brasileiro.

Foto cortesia: Henrique Ayres








Caligo beltrao

Família: Ninfalídeos

Particularidades: É uma das maiores Borboletas do Brasil, caracterizada pelo desenho de olhos na face inferior das asas posteriores, dando origem ao nome de "corujão".

Plantas Hospedeiras: Diversas marantáceas.

Habitat: Sudeste Brasileiro.


Foto cortesia: Henrique Ayres








Catonephele numilia penthia

Família: Ninfalídeos

Particularidades: É atraída por secreções vegetais e sucos de frutas fermentadas. Os machos gostam de pousar nas folhas e abrir as asas , expondo-as ao sol.

Plantas Hospedeiras: Alchornea.

Habitat: Sudeste Brasileiro.


Foto cortesia: http://www.wikipedia.org







Colobura dirce

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Conhecida como "zebra", devido ao desenho da face inferior das asas.

Plantas Hospedeiras: Embaúba

Habitat: Em todas as regiões.


Foto cortesia: http://www.wikipedia.org







Danaus plexippus erippus

Família: Ninfalídeos

Particularidades: É uma das Borboletas mais conhecidas, próxima da famosa "monarca americana". Voa geralmente baixo, pousando em pequenas flores para sugar o néctar. 

Plantas Hospedeiras: Oficial-de-sala (Asclepias curassavica).

Habitat: Nordeste Brasileiro.








Dynastor napoleon

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Considerada um dos mais espetaculares lepidópteros do mundo por suas cores e tamanho. Voa geralmente nos meses de verão ao crespúsculo e ao amanhacer.

Plantas Hospedeiras: Diversas Bromeliáceas.

Habitat: Sudeste Brasileiro (acima de 800 metros).

Foto cortesia: Henrique Ayres 





Femea


Macho


Eryphanis reevesii

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Conhecida popularmente como Borboleta Olho-de-boi, os adultos se alimentam de frutos maduros e líquidos que escorrem de certas plantas.

Plantas Hospedeiras: Folhas de bambus ou gramíneas bambusiformes, como a Olyra.

Habitat: Sudeste Brasileiro.


Foto cortesia: Henrique Ayres







Eueides isabella dianasa

Família: Ninfalídeos

Particularidades: São encontradas em parques e jardins aonde voa à procura de flores cultivadas, como bico-de-papagaio.

Plantas Hospedeiras: Diferentes espécies de maracujá, principalmente Passiflora edulis.

Habitat: Centro e Sudeste do Brasil.


Foto cortesia: http://www.eol.org






Hamadryas feronia

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Vulgarmente chamada de "estaladeira", devido ao ruído que produz durante o vôo.

Plantas Hospedeiras: Trepadeira Dalechampia

Habitat: Em todas as regiões.


Foto cortesia: guano







Heliconius erato phyllis

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Voam durante todo o dia à procura de flores azuis ou vermelhas, como a Lantana. À noite se reúnem em pequenos grupos sobre galhos secos.

Plantas Hospedeiras: Diversas espécies de maracujá.

Habitat: 
Quase todo o Brasil.






Heliconius ethilla narçaea

Família: Ninfalídeos

Particularidades: São encontradas nas matas, jardins e parques, onde procura flores, principalmente as vermelhas.

Plantas Hospedeiras: Diferentes espécies de maracujá.

Habitat: Centro e Sudeste do Brasil.


Foto cortesia: Cláudio Timm
Poderá também gostar de:







Heliconius sara apseudes

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Voa durante o dia nos locais sombrios ou ensolarados à procura do néctar de diversas flores de que se alimenta.

Plantas Hospedeiras: Diversas espécies de maracujá.

Habitat: Mata atlântica.





recto


verso


Papilio thoas brasiliensis


Família: Papilionídeos

Particularidades: Conhecida popularmente como Borboleta Caixão-de-defunto, está presente desde as matas até regiões abertas e ensolaradas, onde procura o néctar de diversas flores, como o cambará, o hibisco e outras espécies que exalam perfume. 

Plantas Hospedeiras: Piperáceas, rutáceas nativas e também Citrus.

Habitat: Em todas as regiões.


Foto cortesia: Henrique Ayres







Historis odius

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Aprecia frutas maduras caídas no chão. É encontrada praticamente em todos os locais em que a planta embáuba, alimento de suas lagartas, é comum.

Plantas Hospedeiras: Folhas de embaúba.

Habitat: Em todas as regiões.


Foto cortesia: http://www.wikipedia.org







Junonia evarete

Família: Ninfalídeos

Particularidades: A Junonia evarete gosta de pequenas flores silvestres, de onde tira seu sustento. 

Plantas Hospedeiras: Gervão e Mangue-branco.

Habitat: Em todas as regiões.


Foto cortesia: http://www.wikipedia.org







Marpesia petreus

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Caracterizada pelas asas de contorno irregular, incomum e longas caudas escuras. 

Plantas Hospedeiras: Diversas moráceas, como a jaqueira e a figueira.

Habitat: Em todas as regiões.


Foto cortesia: http://www.wikipedia.org







Mechanitis lysimnia

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Tendo o nome comum de "maria-boba", dado seu vôo lento e fraco. Os adultos se alimentam de diversas flores, como as de Eupatorium.

Plantas Hospedeiras: Tomateiro, tomateiro-bravo e outras solanáceas.

Habitat: Sudeste Brasileiro.







Methona themisto

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Chamada "Borboleta do manacá" devido a estar intimamente associada a essa planta.

Plantas Hospedeiras: Manacá.

Habitat: Mata Atlântica Brasileira.







Morpho achilles achillaena

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Vulgarmente chamada de "capitão-do-mato", é atraída por frutos maduros, como a manga e a jaca.

Plantas Hospedeiras: Leguminosas papilionáceas.

Habitat: Sudeste Brasileiro.



Foto cortesia: 
Thaysa Meirelles 







Morpho aega

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Os machos dessa espécie apresentam na face superior das asas uma coloração azul metálica de brilho inigualável.

Plantas Hospedeiras: Folhas de taquaras e bambus.

Habitat: Sul e Sudeste Brasileiros.


Foto cortesia: http://www.wikipedia.org








Morpho anaxibia

Família: Ninfalídeos

Particularidades: É uma das mais conhecidas Borboletas Brasileiras, chamada vulgarmente de "azul-seda".

Plantas Hospedeiras: Grumixama, arco-de-pipa e caneleira.

Habitat: Centro e Sudeste Brasileiros, sendo comum no Rio de Janeiro, nos meses de verão.



Foto cortesia: http://www.wikipedia.org







Morpho menelaus tenuilimbata

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Conhecida no Rio de Janeiro como "praia-grande". Costuma se alimentar do suco de frutos maduros caídos no chão. 

Plantas Hospedeiras: Arco-de-pipa e aldrago.

Habitat: Sudeste Brasileiro.



Foto cortesia: http://www.wikipedia.org









Opsiphanes invirae pseudophylon

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Os adultos são ávidos por frutas em fermentação, secreção de tronco das árvores e fezes de animais, podendo detectá-los a mais de um quilômetro de distância.

Plantas Hospedeiras: Palmáceas.

Habitat: Sudeste Brasileiro.

Foto cortesia: Henrique Ayres 







Papilio anchisiades capys

Família: Papilionídeos

Particularidades: Este papilionídeo é encontrado desde as matas até aos locais abertos e de vegetação rasteira, onde, nas horas quentes do dia, procura o néctar de diversas flores de que se alimenta.

Plantas Hospedeiras: Laranjeiras e outras plantas cítricas.

Habitat: Quase todo o Brasil.


Foto cortesia: www.wikipedia.org 









Papilio androgeus laodocus

Família: Papilionídeos

Particularidades: Freqüenta as matas, as clareiras, os jardins e os pomares, onde existem laranjeiras e outras plantas cítricas, alimento de suas lagartas. Os machos costumam pousar na areia úmida para sugar a lama.

Plantas Hospedeiras: Laranjeiras.

Habitat: Sul e Sudeste Brasileiro.


Foto cortesia: Henrique Ayres 






Parides ascanius

Família: Papilionídeos

Particularidades: Embora grande e vistosa, a Borboleta é evitada por predadores como os pássaros, pois assimila um veneno da única planta-alimento de suas lagartas, Aristolochia macroura.

Plantas Hospedeiras: Aristolochia.

Habitat: 
Litoral de Campos a Guaratiba.


Foto cortesia: commons.wikimedia.org







Phocides palemon phanias

Família: Hesperiídeo

Particularidades: Pequena Borboleta de cores escuras,caracterizada por corpo e cabeça robustos e as asas relativamente reduzidas.

Plantas Hospedeiras: Eucalipto

Habitat: Em todas as regiões.


Foto cortesia: www.wikipedia.org







Phoebis philea

Família: Pierídeos

Particularidades: Conhecida vulgarmente como "gema", encontrada em parques e jardins, voando rapidamente sobre as flores de diversas plantas cultivadas dos gêneros Impatiens, Hibiscus, Ixora, Duranta e Bougainvillea, entre outras.

Plantas Hospedeiras: Diversas espécies de Cassia.

Habitat: Em todas as regiões.


Foto cortesia: commons.wikimedia.org 








Prepona demophon

Família: Ninfalídeos

Particularidades: Pertence a um gênero de Borboletas caracterizado pela faixa verde-azulada e metálica. Procuram frutos, como a manga e a jaca, para se nutrir do seu suco.

Plantas Hospedeiras: Abacateiro, louro, canela e outras plantas silvestres.

Habitat: Em todas as regiões.


Foto cortesia: http://www.wikipedia.org









Siproeta stelenes

Família: Ninfalídeos

Particularidades: O colorido verde, incomum nos lepidópteros adultos, torna esta Borboleta muito bela.

Plantas Hospedeiras: Plantas da família acantácea.

Habitat: Em todas as regiões.


Foto cortesia: http://www.wikipedia.org

sexta-feira, 1 de março de 2013

Borboleta também se automedica



Inseto usa de plantas medicinais para cuidar da prole.


Foto: Getty Images
Automedicação: borboleta monarca usa de plantas medicinais para tratar sua prole.

A automedicação não é uma exclusividade doHomo sapiens. Pesquisadores descobriram que a borboleta monarca, aquela que migra do norte dos Estados Unidos até o México todos os anos, usa de plantas medicinais para tratar doenças em sua prole. 

O estudo publicado no jornal científico Ecology Letters constatou que algumas espécies de plantas que secretam seivas leitosas - as serralhas - podem reduzir o desenvolvimento de parasitas nas borboletas monarcas. O parasita Ophryocystis elektroscirrha se aloja no intestino das lagartas, o que os leva à morte. E surpreendentemente, as fêmeas, num caso de automedicação, deixam seus ovos justamente nestas plantas para que sua prole não seja infectada.  

Os pesquisadores da Universidade de Emory, de Atlanta, criaram borboletas infectadas e não infectadas que copulavam com machos não infectados. Em seguida as fêmeas foram colocadas em gaiolas com duas plantas, uma com forte poder medicinal e outra não. Após duas horas os pesquisadores contaram o número de ovos deixados em cada planta. O resultado foi que as borboletas infectadas colocam mais ovos nas serralhas tropicais, que têm poder medicinal, em comparação com as borboletas não infectadas. 

Os pesquisadores atribuem o poder terapêutico de algumas serralhas ao alto índice de substâncias, chamadas de cardenólidos, que parecem intoxicar os parasitas. 

“É importante notar que as fêmeas não podem se curar da doença. Além disso, quando são infectadas, elas carregam milhões de parasitas em seu corpo, e alguns destes são transferidos para os seus ovos. Elas não podem evitar a propagação do parasita à prole. No entanto, elas podem reduzir a infecção e a doença ao por seus ovos em plantas medicinais”, disse ao iG Jacobus de Roode, biólogo que liderou a pesquisa. 

Casos de automedicação entre animais são raramente identificados. Estudos mais antigos apontavam que chipanzés e gorilas se alimentam de determinadas folhas, sem valor nutricional, para se livrar de verminoses. O estudo da Universidade de Emory foi o primeiro que conseguiu provar que insetos são capazes de usar plantas medicinais.  

“A descoberta já é curiosa simplesmente por ser muito interessante saber que borboletas também exercem a automedicação. Acho interessante observarmos e aprendermos tratamentos medicinais com outros animais, para que no futuro, este conhecimento possa ser implementar em humanos”. O parasita que infecta as borboletas monarcas é um protozoário semelhante ao protozoário causador da malária, mas de acordo com de Roode, ainda não se sabe se as serralhas são capazes de combater outras doenças também.